Loading...

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

DEBORA


Débora foi uma juíza descrita no livro de Juízes do Antigo Testamento da Bíblia e que teria liderado os israelitas contra o domínio de Canaã, por volta do século XII a.C..

É a única mulher das Escrituras que alcançou um cargo político pelo seu próprio povo. Sua origem parece ser simples, pois o texto bíblico a menciona como esposa de Lapidote e que prestava atendimento como profetisa debaixo das palmeiras. Numa nação sedenta de espiritualidade, caracterizada pela rejeição de Deus e por uma determinação entre o povo de cada um agir a seu próprio modo, Débora foi, antes de tudo, uma conselheira,ao demonstrar sua liderança à sombra de uma palmeira próxima à sua casa, discutindo e sugerindo soluções para pessoas com problemas.
A profetisa Débora e Barac (1 Sm 12,9-11; Sl 83,10; Heb 11,32) – 1De­pois da morte de Eúde, os filhos de Israel continuaram a praticar o mal diante do Senhor. 2O Senhor entre­­gou-os, então, nas mãos de Jabin, rei de Canaã, que reinava em Haçor; o chefe do seu exército era Sísera, que habitava em Haróchet-Goim.

3Então, os filhos de Israel cla­ma­ram ao Se­nhor, pois Sísera possuía novecen­tos carros de ferro, e os opri­mira violen­tamente durante vinte anos. 4Ora Débora, profetisa, mulher de Lapidot, exercia por essa altura as funções de juiz em Israel. 5Sen­tava-se debaixo da palmeira de Débora, entre Ramá e Betel, na montanha de Efraim, e os israelitas iam ter com ela para que lhes servisse de árbitro. 6Ela man­dou chamar Barac, filho de Abi­noam, de Quedes, em Neftali, e disse-lhe: «Assim ordenou o Senhor, Deus de Israel: ‘Vai, reúne no monte Tabor e toma contigo dez mil ho­mens das tribos de Neftali e de Zabu­lão. 7Eu conduzirei para ti, junto da tor­rente de Quichon, Sísera, chefe do exér­cito de Jabin, os seus carros e os seus exércitos, e entregá-los-ei nas tuas mãos.’» 8Barac disse-lhe: «Se fo­res comigo, eu irei; mas se não fores co­migo, não irei.» 9Ela respondeu: «Irei, sem dúvida, contigo; mas fica a sa­ber que a glória da expedição que tu fazes não será para ti, pois o Se­nhor vai entregar Sísera nas mãos de uma mulher.»

Débora levantou-se, então, e foi com Barac em direcção a Que­des. 10Barac convocou Zabulão e Nef­tali em Quedes, e reuniu sob as suas or­dens dez mil homens; Débora foi tam­bém com ele. 11Héber, o que­nita, tinha-se se­pa­ra­do dos queni­tas, des­cen­dentes de Hobab, sogro de Moi­sés, e tinha mon­tado as suas tendas até ao carvalhal de Saanaim, junto de Que­des.


Derrota de Sísera (Ex 14,24-25) – 12Anunciaram a Sísera que Barac, filho de Abinoam, subia para o mon­te Tabor. 13Então, Sísera reuniu to­dos os seus carros, novecentos car­ros de ferro, e todos os homens que esta­vam com ele, e saiu de Harochet-Goim, para a torrente de Quichon. 14Disse, então, Débora a Barac: «Le­vanta-te, pois é este o dia em que o Senhor avança, para entregar Sí­sera nas tuas mãos; eis que o Se­nhor vai, Ele próprio, à tua frente.» Barac des­ceu do monte Tabor com dez mil ho­mens atrás de si. 15O Se­nhor desba­ratou Sísera com todos os seus car­ros e todo o seu exército, a golpe de es­pada, na presença de Barac; então, Sísera, saltando do seu carro, fugiu mesmo a pé.

16Barac perseguiu os car­ros e o exército até Harochet-Goim, e todo o acampamento de Sísera foi passado a fio de espada, sem esca­par nem um ho­mem. 17Sísera fugiu a pé para a ten­da de Jael, mulher de Héber, o quenita, porque havia paz entre Jabin, rei de Haçor, e a famí­lia de Héber, o quenita.

18Então, Jael saiu ao encontro de Sísera e disse-lhe: «Entra, meu se­nhor, entra na minha casa, não te­mas.» Ele entrou com ela na tenda e ela encobriu-o sob o tapete. 19Disse-lhe ele: «Por favor, dá-me de beber um pouco de água, que tenho sede.» Ela abriu um odre de leite, deu-lhe de beber e tornou a cobri-lo. 20Disse-lhe Sísera: «Põe-te à entrada da tenda, e se alguém te per­guntar: ‘Há aqui alguém?’, res­pon­de­rás: ‘Não.’» 21Então, Jael, mu­lher de Héber, pegou num prego da tenda, agarrou nas mãos o martelo e foi ter com ele, deva­garinho; en­terrou o prego na testa de Sísera, a ponto de penetrar na pró­pria terra; Sísera es­­tava em sono pro­fundo e assim, des­faleceu e morreu.

22E eis que chega Barac, em per­seguição de Sísera. Jael, saindo-lhe ao encontro, disse-lhe: «Vem; vou mostrar-te o homem que procuras.» Ele entrou com ela e en­controu Sí-sera que jazia morto por terra, com o prego na fronte. 23Na­quele dia o Se­nhor hu­milhou Jabin, rei de Canaã, perante os israelitas. 24A mão dos filhos de Israel tornou-se cada vez mais pesada sobre Ja­bin, rei de Ca­naã, até que acabaram por matá-lo.

Nenhum comentário: